Tamanho e Espaçamento dos Orifícios

Geldart (1985) menciona algumas generalizações, que podem ser feitas sobre o espaçamento e o diâmetro dos distribuidores:

  1. Distribuidores com orifícios menores que 1 mm de diâmetro são muito caros, porém disponíveis comercialmente;
  2. Se os orifícios são maiores que 5dp, ocorre a deposição dos sólidos na região de homogeneização gasosa. Por esse motivo utiliza-se uma tela (malha) sobre o distribuidor ou utilizam-se os distribuidores tipo caps ou tuyere com orifícios horizontais;
  3. Os distribuidores porosos formam bolhas menores, sem formação de zonas mortas próximo ao distribuidor, e tem a vantagem dos sólidos não se depositarem.
  4. Se o número de orifícios total do distribuidor exceder 1000 orifícios/m2, alguns centímetros acima do distribuidor, o tamanho das bolhas formadas são os mesmos de um distribuidor poroso. Entretanto, se Nor for muito pequeno, problemas de penetração de jato e movimento da partícula podem ocorrer.

Qureshi and Creasy (1979) apresenta um critério para estimativa do espaçamento dos orifícios em um distribuidor, baseando-se na área livre, definida pela equação 6.

De acordo com o arranjo escolhido para os orifícios, o espaçamento entre os orifícios, Lor, é dado pelas equações 7 e 8:

Para um arranjo quadrático : 

Para um arranjo triangular equilateral: