Processo Unipol

Polimerização de olefinas - Processo Unipol

         O polietileno, plástico de maior volume de venda do mundo, alcançou tal posição após a descoberta pelo Union Carbide de um catalisador extraordinário que opera a temperaturas e pressões relativamente baixas aliado a um processo de leito fluidizado versátil e único.

         No processo, o gás reagente é alimentado a uma taxa de 3 a 6 vezes a velocidade mínima de fluidização, a 75-100 °C e 20 atm com uma alimentação contínua dos catalisadores cromo-titânio suportados em sílica e o Ziegler. A polimerização ocorre na superfície do catalisador, causando o crescimento das partículas em grânulos grandes de 250-1000µm. A conversão do etileno é baixa, cerca de 2%, sendo necessários grandes reciclos. A reação é exotérmica (~3300kJ/kg de etileno convertido), por isso é importante evitar pontos quentes e acúmulo localizado do catalisador nas paredes do reator.

         Por causa da grande diluição do catalisador nos grânulos e seu tamanho grande, a matéria-prima está pronta para o uso em peletização ou remoção do catalisador. Alem disso, não é usado solvente no processo, e pode produzir um produto de baixa ou alta densidade do polímero. Pela grande eficiência e economia do processo, muitos outros polímeros são produzidos seguindo este sistema, por exemplo, a copolimerização de etileno com 1-hexeno e 1 -butadieno desenvolvida pela Exxon e Union Carbide.