Penetração do Jato

Os jatos formados pelos distribuidores são provenientes de tubos inseridos em vários ângulos dentro e nas paredes do leito. Esse escoamento do jato e seu comprimento de penetração são estudados por causa:

  1. da alta velocidade do jato no orifício, de até 180 m/s, em experimentos, mas com velocidade de 30-40 m/s em distribuidores comerciais, no qual proporciona uma grande ação energética do jato de areia (arraste de sólido) e uma erosão rápida contra qualquer superfície;
  2. da atrição de sólidos friáveis nos leitos ocorrendo primeiramente nos jatos. Além disso, o conhecimento da ação dos jatos ajudará no controle da distribuição dos sólidos no leito;
  3. de mudanças rápidas em nível químico e físico, como por exemplo: combustão, gaseificação, reação com chama, granulação, revestimento, desvolatilização.

Comprimento de Penetração do Jato:

Para um orifício em uma placa plana, o comprimento de penetração do jato Lj é definido por Filla et al. (1983) como a distância entre a placa e o centro da bolha para o instante em que ocorre o desprendimento do jato (Figura 3).

Figura 4 - Comprimento de Penetração do Jato

Para tubos apontados para cima (tuyere) em leitos fluidizados, Hirsan et al. (1981) notaram que o comprimento do jato flutuava grandemente, e com isso os autores definiram os comprimentos dos jatos, mínimo (Lmin) e máximo (LB), e Lj como uma posterior penetração das bolhas do jato. Para um simples orifício, Yates et al. (1984) propuseram a seguinte correlação para o cálculo do comprimento do jato em função do diâmetro do orifício:

Em conclusão, para predizer comprimento de penetração do jato para uma aplicação particular, escolha a correlação para as condições que estão mais próximas do seu sistema e aplique-a com precaução.